TwitterFacebookGoogleFlickrPinterestLinkedInYouTubeGoogle MapsEmailRSS

Relações Humanas no Trabalho

timthumb

Nos primórdios da humanidade o homem fazia ferramentas de pedra e buscava recursos para a sua subsistência. O trabalho era um dos meios para produzir o seu alimento, aquisição de roupas ou moradia. Os afazeres eram pagos através de trocas, assim como as compras eram feitas com a interação entre as pessoas, objetivando a negociação dos produtos. O vinculo no trabalho era formalizado por acordos através de conversas, não existia regulamentação ou solicitações de documentos.

A revolução industrial tornou as empresas maiores e mais complexas, o lucro e a produção tornaram-se objetivo principal dos grandes latifundiários. O Brasil deixou de ser predominantemente agrário. A modernização e o avanço da tecnologia influenciaram nas relações, a inclusão do homem no mercado passa a ser globalizada, modificou-se o paradigma financeiro e social.

As pessoas na sociedade e inseridas nas organizações, participam de grupos formais e social, constituem equipes, mantêm uma constante relação interpessoal. Relações humanas é o contato através de ações e atitudes desenvolvidas entre os indivíduos. Cada pessoa tem um histórico de vida, as ações são baseadas no que o individuo acredita, seus valores, crenças pessoais e princípios.

Atualmente as empresas estão cada vez mais preocupadas no desenvolvimento de competências comportamentais, e com a qualidade das relações interpessoais dos seus colaboradores. Dessa forma as organizações estão investindo nos profissionais especializados em desenvolvimento de pessoal, sendo eles: psicólogo organizacional, consultorias de Recursos Humanos, coaching e Gestão de pessoais, esses profissionais tem as ferramentas e as técnicas necessárias para realizar um programa de treinamentos que aborda também as relações humanas, objetivando desenvolver o potencial e melhorar a assertividade nas relações interpessoais.

A convivência humana é complexa, as diferenças individuais nem sempre são respeitadas, normas e regras que regem organizações são com frequência ignoradas, falta de traquejo social,  sucessivamente pode existir falha na comunicação com ausência de clareza e objetividade, como também deficiência na liderança. A problemática ou ineficácia nas relações no ambiente de trabalho afetam a produtividade, independente do tipo de empresa, produtos ou serviços que é oferecido a sua clientela.

Algumas pessoas tem habilidade para trabalhar individualmente, outras em equipes, algumas tem perfil de liderança, outras são extrovertidas ou introvertidas, enfim a diversidade cultural e religiosa também influenciam nas relações. A divisão de trabalho no dia a dia torna as organizações cada vês mais dependente do capital humano. Por outro lado as empresas devem ter o entendimento em valorizar o seu colaborador, proporcionado um programa de cargos e salário justo, dar condições físicas adequadas de trabalho, premiar o alcance de metas, proteger, assistir, por fim ter o colaborador como um aliado.  A forma como uma empresa trata os seus funcionários influencia no comprometimento do mesmo com a empresa. O ambiente empresarial equilibrado e harmonioso trará bons resultados tanto para a empresa como para o colaborador.

 

Rose dos Santos

Gerente de Recursos Humanos

Nova campanha Saff

Nossa nova campanha, feita com muito carinho para vocês!

Tire suas dúvidas sobre o plano solicitando um representante:
FOZ DO IGUAÇU (45) 3028-3535
MEDIANEIRA (45) 3240-2008

Visitas a Região do Morumbi em Foz do Iguaçu

Hoje representantes da Saff, devidamente uniformizados, estão fazendo visitas na região do Morumbi. Aproveite para tirar todas as suas dúvidas!
E se você ainda não tem o Plano Saff, faça o seu!

1609651_646777655380144_747016262_n

Saúde mental e dependência química (Psicóloga Rose Santos)

          Temas relacionados á saúde mental e utilização de substâncias psicoativas sempre estiveram presentes ao longo da historia da humanidade, entretanto em cada período os indivíduos lidavam e encaravam a saúde mental de uma forma peculiar de acordo com os recursos e conhecimentos da época.

A OMS Organização Mundial de Saúde considera a dependência química como uma doença. Sendo uma enfermidade psiquiátrica de ordem psicológica, social e biológica, visto que, trata-se de um transtorno biopsicossocial. Estão classificadas como drogas psicoativas o álcool (droga licita), maconha, crak, cocaína, anfetaminas, tabaco, entre outros. Quando a dependência está instalada o indivíduo tem uma alteração na estrutura do funcionamento normal, com mudanças orgânicas e comportamentais, atingindo o sistema nervoso central,  possivelmente causando importantes prejuízos na vida familiar, pessoal e profissional do individuo dependente.

As causas da dependência química são multifatoriais, não se pode afirmar que o indivíduo é dependente químico por esse ou aquele motivo específico. Com a compulsão gerando o uso excessivo e descontrolado, a pessoa centraliza suas atividades em prol da busca desenfreada para o consumo. O tratamento só pode ser eficaz se o indivíduo realmente quiser.        No tratamento da dependência química o primeiro passo é a conscientização da doença,  incluindo uma mudança radical no  comportamento, dessa forma é recomendado a internação em clinicas e casas especializadas.

A desintoxicação do organismo gera crises de abstinência, algumas vezes com náuseas, dores no corpo, irritabilidade entre outros. È importante uma equipe multidisciplinar para acompanhar o dependente durante as crises de abstinência, recaídas e principalmente tratar os aspectos orgânicos com medicação, as condições psicológicos com terapia individual, em grupo e terapia ocupacional.

No campo da saúde mental além da dependência química, estão os transtornos de humor, transtornos psicóticos, transtornos de ansiedade e transtornos de personalidade. A dependência química é considerada um problema de saúde pública, onde deve existir uma política com programas específicos para os doentes ter a oportunidade de controle da doença. As enfermidades relacionadas á saúde mental devem ser tratadas de forma a ajudar os indivíduos a compreender a doença e engajar-se no tratamento, farmacológico e psicoterapia. A equipe de saúde torna-se um importante aliado, bem como o apoio familiar ao dependente químico.

Psicóloga Rose Santos
CRP: 08/14692

drogasedoencaspsiquicas

A SAFF, representada por seu Recursos Humanos – Rose Santos, engajou uma campanha entre seus colaboradores no sábado (14 de dezembro).

1527011_632471616810748_354643139_n1468757_632471603477416_1015909597_n

A SAFF, representada por seu Recursos Humanos – Rose Santos, engajou uma campanha entre seus colaboradores no  sábado (14 de dezembro).
No dia da festa de confraternização, os colaboradores foram convidados a doar caixinhas de leite longa vida que, posteriormente, foram direcionados para o Centro de Nutrição Infantil de Foz do Iguaçu, representado por sua coordenadora Marlene Andrade.

Agradecemos a todos que colaboraram com essa campanha. O pouco que fazemos faz a diferença na vida das pessoas que precisam!

Atividades domésticas prolongam a vida e diminuem o risco de doença cardíaca

640x265x1311060000.jpg.pagespeed.ic.s-87OoqI_WO sedentarismo, que tem aumentado na época moderna, é caracterizado pelo tempo prolongado que a pessoa fica sentada com pouca contração nos grandes grupos musculares. Esta inatividade está claramente associada a um maior risco de várias doenças como diabete e doença cardíaca, assim como a uma maior mortalidade em geral. Por outro lado, é evidente a importância do exercício regular para a saúde e longevidade. Para um estilo de vida saudável, são recomendados 150 minutos por semana de atividade física moderada.

Pouco é conhecido sobre os efeitos na saúde da atividade física não intencional, aquela decorrente de atividades como arrumar a casa, jardinagem, pequenos consertos domésticos e passatempos do tipo faça você mesmo. Pois uma pesquisa, publicada por cientistas suecos na revista British Journal of Sports Medicine, demonstra claramente os benefícios produzidos por este tipo de atividade, principalmente em pessoas com mais de 60 anos. Se estima que uma pessoa possa queimar seis vezes mais energia por minuto arrumando a casa do que quando ela está sentada.

O estudo avaliou 3839 pessoas nascidas nos anos de 1937 e 1938. Quanto mais atividades domésticas a pessoa realizava durante o dia, menos tempo ela ficava sentada (por exemplo, em frente à TV ou ao computador) e vice-versa. As pessoas com mais tempo ocupado com atividades domésticas tiveram uma redução de até 30% no risco de desenvolver problemas cardiovasculares, bem como apresentaram maior longevidade.

Interessante que esta atividade física não intencional teve, sobre a saúde, um impacto semelhante ao do exercício físico regular, sendo um fator positivo independente do exercício físico regular, e essas atividades do dia-a-dia são tão importantes para a saúde quanto o exercício intencional. Por sua vez, as pessoas que somam os dois tipos de atividade, exercício regular e atividade física não intencional, apresentaram resultados ainda melhores.

Os resultados deste trabalho servem de alerta e de encorajamento para pessoas de todas as idades para que levantem do sofá e saiam da frente do computador e da TV. Vamos cozinhar, arrumar, reformar, jardinar, evitar os elevadores, máquinas e serviços terceirizados. Quanto mais fizermos as nossas coisas do dia-a-dia, melhor para nossa saúde.

Ah, e não se esqueça dos 150 minutos por semana do exercício regular. Tudo isto é de graça.

Fonte: ABC da saude

 

Maçã pode ser tão potente quanto remédio na prevenção do colesterol, diz estudo

Pesquisa da Universidade de Oxford mostrou que antioxidantes da fruta combatem o LDL sem os efeitos colaterais das estatinas, que incluem fraqueza muscular e diabetes
3ay9mxy0zsr7iqv6w0h86369f
Comer uma maçã por dia tem efeitos semelhantes à estatina, remédio usado no controle do colesterol e que previne doenças cardiovasculares

 

O velho ditado inglês que diz que comer uma maçã por dia mantém o médico longe parece ser realmente verdade – ao menos é o que diz um estudo publicado no periódico British Medical Journalnesta semana. Pesquisadores da Universidade de Oxford estudaram os efeitos preventivos da estatina – droga que combate o mau colesterol – comparados aos efeitos do consumo da maçã.

Num mapeamento com pacientes atendidos pelo sistema de saúde público, tanto o medicamento como a maçã foram capazes de reduzir a mortalidade decorrente de doenças cardiovasculares ou acidente vascular cerebral (AVC). A estatina previniu 9.400 mortes, enquanto a maçã conseguiu evitar 8.500 casos fatais por ano.

Segundo o estudo, a vantagem em adotar a maçã como prevenção é que a fruta não carrega os efeitos colaterais da estatina, que envolvem miopatia (fraqueza muscular) e o surgimento do diabetes, além de outras reações adversas.

Apesar dos benefícios da fruta, os cientistas se preocupam com o acesso da população britânica às maçãs frescas. Por lá, a fruta é mais cara do que as estatinas e a maioria da população não consome as porções recomendadas.

Um problema que inexiste no Brasil, explica a nutróloga Ana Luisa Vilela Barbosa, membro da Sociedade Brasileira de Nutrologia. “Aqui a maçã é barata e de fácil acesso. Você encontra em qualquer lugar”.

Ana explica que os antioxidantes presentes na maçã ajudam a diminuir a oxidação do LDL, o colesterol ruim. Além disso, a fruta também traz outros benefícios. “A maçã é rica em fibras, é considerada até um limpador natural de dentes, pois ela impede a proliferação de cáries e tem poder antibacteriano, além de ter baixa caloria e baixo índice glicêmico”, explica.

A fibra da maçã também é considerada benéfica. “A pectina ajuda na diminuição do colesterol”, explica a nutróloga. Isso além dos antioxidantes que contribuem na prevenção de várias doenças, inclusive o câncer, e das vitaminas, sais minerais e ferro encontrados nela. É melhor consumir com a casca, pois é onde se concentram bastantes nutrientes”, complementa.

Fonte: Saude ig